A PALAVRA DE PASSE


A PALAVRA DE PASSE É MAIS UM SÍMBOLO MAÇÔNICO QUE TEM ORIGEM NO LIVRO DA LEI, OU SEJA, NAS SAGRADAS ESCRITURAS, QUE EM JUÍZES, CAPÍTULO 12, RELATA QUE O EXÉRCITO DOS EFRAIMITAS ATRAVESSOU O RIO JORDÃO PARA COMBATER JEFTÉ, FAMOSO GENERAL GILEADITA. OS EFRAIMITAS REIVINDICAVAM O DIREITO DE PARTICIPAR DOS LOUROS DA GUERRA AMONITA, O QUE SIGNIFICAVA A DIVISÃO DOS RICOS DESPOJOS OBTIDOS PELO EXERCITO DE JEFTÉ COM A VITÓRIA, MESMO SEM PARTICIPAR DAS BATALHAS. OS EFRAIMITAS ERAM TURBULENTOS E SE EMPENHARAM NA DESTRUIÇÃO DOS GILEADITAS. JEFTÉ TENTOU, POR TODOS OS MEIOS, CONTORNAR A CRISE EM BUSCA DA PAZ, PORÉM NÃO LOGROU ÊXITO E, ASSIM SENDO, REUNIU TODOS OS HOMENS DE GILEADE E PARTIU PARA A LUTA CONTRA OS EFRAIMITAS, VENCENDO-OS E PONDO-OS EM FUGA.

PARA ASSEGURAR A SUA VITÓRIA DE FORMA DEFINITIVA, JEFTÉ ENVIOU DESTACAMENTOS OBJETIVANDO GUARDAR AS PASSAGENS DO RIO JORDÃO, POR ONDE PODERIA HAVER A POSSIBILIDADE DOS DESAFIADORES CRUZAREM E, ASSIM PROCEDENDO, DEU ORDENS DRÁSTICAS PARA QUE TODO FUGITIVO QUE TENTASSE RETORNAR FOSSE EXECUTADO.

COMO OS EFRAIMITAS ERAM, TAMBÉM, ASTUCIOSOS, TENTARAM USAR DE TODOS OS SUBTERFÚGIOS PARA ENGANAR OS SOLDADOS DE JEFTÉ.

TENDO OS EFRAIMITAS UMA LIMITAÇÃO VOCAL PRÓPRIA DE SEU IDIOMA, NÃO CONSEGUIRIAM PRONUNCIAR CORRETAMENTE A PALAVRA "SCHIBOLET", DIZENDO "SIBOLET".

ESTA DIFICULDADE FONÉTICA FOI ASTUTAMENTE USADA POR JEFTÉ, E ASSIM, PARA TODOS QUE TENTAVAM ULTRAPASSAR O RIO JORDÃO ERA PERGUNTADO:
- “ÉS TU EFRAIMITA?” RESPONDIAM: “NÃO” – “POIS BEM, DIZIAM OS GILEADITAS, DIZE: SCHIBÓLET”. E ELES, OS EFRAIMITAS, DIZIAM "SIBOLET", ASSIM ERAM PRESOS E DEGOLADOS JUNTO AOS VAUS DO JORDÃO.

AS ESCRITURAS SAGRADAS INFORMAM QUE MORRERAM 42.000 EFRAIMITAS NA TENTATIVA DE REGRESSAR.

COMO A PALAVRA "SCHIBOLET" RESULTOU UMA SENHA SEGURA, O REI SALOMÃO A USOU, POSTERIORMENTE, COMO PALAVRA DE PASSE PARA OS COMPANHEIROS.

ESTA PALAVRA FOI ADOTADA PELA MAÇONARIA, TANTO PELA SUA ORIGEM HISTÓRICA, COMO PELO SEU SIGNIFICADO.

APESAR DE SUA ORIGEM HEBRAICA, A FORMA DE GRAFIA DIFERE UM POUCO, ENTRE OS MAÇONS DE VÁRIAS NACIONALIDADES, PORÉM, OS ESCRITORES MAÇÔNICOS REVELAM QUE O VALOR DA PALAVRA DE PASSE ESTÁ NA SUA PRONÚNCIA E NÃO NA FORMA DE ESCREVÊ-LA.

A PALAVRA DE PASSE É PRONUNCIADA COM UM "CHIADO", ENQUANTO A QUE PRONUNCIAVAM OS EFRAIMITAS ERA SIBILADA, PORTANTO APENAS IMPORTA A PRONÚNCIA HEBRAICA, OU SEJA, "CHIADA”.

PARA A MAÇONARIA, O VALOR DA PALAVRA DE PASSE É O SEU SIGNIFICADO SIMBÓLICO.

EM HEBRAICO SIGNIFICA "ESPIGA DE TRIGO" E TAMBÉM, "CORRENTE DE ÁGUA".

"NUMEROSOS COMO A ESPIGA DE TRIGO", NO SENTIDO DE "UNIÃO", COMO SIMBOLIZA A ROMÃ.

A PALAVRA DE PASSE REPRESENTA O REINO VEGETAL.

O TRIGO SEMPRE FOI CONSIDERADO UM GRÃO SAGRADO, INDISPENSÁVEL PARA A VIDA HUMANA; O PÃO QUOTIDIANO, TOMADO POR JESUS CRISTO COMO SÍMBOLO DA SUA PRÓPRIA CARNE.

QUANTO A "CORRENTE DE ÁGUA", SEU SIMBOLISMO FOI TOMADO POR SER A ÁGUA UM DOS PRINCIPAIS ELEMENTOS DA NATUREZA, TAMBÉM INDISPENSÁVEL A TODAS FORMAS DE VIDA.

O TRIGO VALE PELA SUA MADUREZA; ESTARÁ PRONTO PARA SERVIR DE ALIMENTO, QUANDO OS SEUS GRÃOS ESTIVEREM SECOS E PUDEREM FORNECER A FARINHA.

EM HEBRAICO, A ETIMOLOGIA DA PALAVRA "TRIGO", TEM A RAIZ SEMÍTICA “SBL” QUE SIGNIFICA "DERRAMAR", "ESPARGIR", "PROCEDER"; A PALAVRA "SHABIL" TRADUZ-SE COMO "SENDEIRO OU CAMINHO". EM RESUMO,  PODE-SE ENTENDER QUE O TRIGO É UM RAMO PRODUZIDO POR UMA CORRENTE DE ÁGUA, ATRAVÉS DE UM CAMINHO PERCORRIDO, PRODUZINDO "PEDRAS OU GRÃOS PRECIOSOS".

"CIBELIS", INTRODUZIDA DENTRO DO HEBRAICO, SIGNIFICA A "TERRA FACUNDA E PRODUTIVA", O QUE É MUITO CONSIDERADO NOS MISTÉRIOS.

EM GREGO, "SIBO LITHON", OU "SEBO LITHON", QUE SIGNIFICA: "CULTIVO" OU "HONRO A PEDRA".

EM LATIM, "SPICA", QUE SIGNIFICA "AGUDEZ" OU "PENETRAÇÃO", RELACIONANDO-SE COM O VERBO "SPÉSERE", "OLHAR".



PORTANTO, A PALAVRA "SCHIBOLE", REÚNE OS SIGNIFICADOS DE "ESTABILIDADE PRODUTORA", "CAMINHO FECUNDO", "MATURIDADE ELEVADA", "PRODUÇÃO PRECIOSA" E "PENETRAÇÃO CLARIVIDENTE".

A ESPIGA DE TRIGO ENCONTRA-SE REPRESENTADA, TAMBÉM, NO FIRMAMENTO, COMO A ESTRELA MAIS LUMINOSA DA CONSTELAÇÃO DE VIRGO; TRATA-SE DE UM SÍMBOLO COMUM A TODOS OS MISTÉRIOS DA ANTIGUIDADE.

ENCONTRAMOS AS ESPIGAS DE TRIGO ORNAMENTANDO OS CABELOS DAS DEUSAS EGÍPCIAS; NA LITURGIA CATÓLICA ROMANA, A ESPIGA SIMBOLIZA A EUCARISTIA.

NOS MISTÉRIOS DE ELÊUSIS, UM DOS MAIS FAMOSOS E O MAIS ANTIGO DE TODOS OS MISTÉRIOS GREGOS, OS QUAIS ERAM ENSINAMENTOS RELACIONADOS COM A VIDA APÓS A MORTE, OS INICIADOS ERAM COMPARADOS COM UMA ESPIGA DE TRIGO, PRODUTO FECUNDO DO ESFORÇO VERTICAL E DA ATIVIDADE DO GRÃO OCULTO NO SEIO DA TERRA, GERMINANDO FAVORECIDO PELA UMIDADE, ABRINDO CAMINHO, CONTORNANDO AS DIFICULDADES E VENCENDO A FORÇA DA GRAVIDADE, EM BUSCA DOS BENÉFICOS RAIOS SOLARES, ATÉ QUE O ESFORÇO SEJA GRATIFICADO COM O AMADURECIMENTO DO FRUTO QUE PASSA A SER ÚTIL PARA A VIDA.

O MISTÉRIO DA FECUNDIDADE ENCONTRA NA ESPIGA DE TRIGO O SEU MÁXIMO SIMBOLISMO.

GERMINANDO O GRÃO, CRESCENDO A PLANTA, NO SENTIDO OPOSTO À FORÇA DA GRAVIDADE DE SEUS INSTINTOS E PAIXÕES, O APRENDIZ VENCE E SE TRANSFORMA EM COMPANHEIRO, QUANDO SE ENCONTRA E SE ESTABELECE NO PLANO ELEVADO, PARA AMADURECER E, POR SUA VEZ, FRUTIFICAR.

O GRÃO DE TRIGO AMADURECIDO TEM DUAS FUNÇÕES: PRIMEIRAMENTE, PARA SERVIR COMO ALIMENTO E A SEGUNDA, DE MULTIPLICAR POR SER UMA SEMENTE.

O APRENDIZ É O GRÃO DE TRIGO COM VIDA LATENTE, QUE CONSERVA O MISTÉRIO DA REPRODUÇÃO. CONSERVADO EM LUGAR E AMBIENTE APROPRIADOS, NÃO GERMINA, MAS SUBSISTE.

HÁ EXEMPLOS POR DEMAIS CONHECIDOS DE GRÃOS DE TRIGO ENCONTRADOS EM TÚMULOS DE FARAÓS EGÍPCIOS, QUE APÓS CINCO, SEIS OU MAIS MILÊNIOS, PLANTADOS E UMEDECIDOS, GERMINARAM E PRODUZIRAM FRUTO.

O TRIGO TEM A FACULDADE DE MANTER-SE INDEFINIDAMENTE ÍNTEGRO.

O APRENDIZ, POR SUA VEZ, DADO OS CONHECIMENTOS QUE ARMAZENOU, TAMBÉM, PODE MANTER-SE ÍNTEGRO, COM FORÇA LATENTE, ESPERANDO A OPORTUNIDADE DE ENCONTRAR TERRA FÉRTIL.

SENDO O APRENDIZ O PRÓPRIO GRÃO DE TRIGO, PODE PERMANECER INDEFINIDAMENTE NO ESTADO DE GRÃO, PORQUE TEM CONSCIÊNCIA DE QUE O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO HÁ DE PROVER O SEU CAMINHO, OU SEJA, A MISSÃO QUE DEVERÁ CUMPRIR, DENTRO DA ORDEM MAÇÔNICA, EM SEUS DIVERSOS GRAUS.

O COMPANHEIRO É O GRÃO GERMINADO; CASO O COMPANHEIRO DEMONSTRE PRESSA E DESEJE AFOITAMENTE GERMINAR, PARA ENCETAR O CAMINHO DA MULTIPLICAÇÃO, CORRE O RISCO DE SER LANÇADO EM LUGAR INAPROPRIADO E SECAR OU SER DEVORADO PELAS AVES.
ATENTEMO-NOS PARA A PARÁBOLA DO SEMEADOR, CONHECIDA COMO A PARÁBOLA DAS PARÁBOLAS:
“JESUS, TENDO SAÍDO DE CASA, SENTOU-SE PERTO DO MAR; E SE REUNIU AO SEU REDOR UMA GRANDE MULTIDÃO DE POVO; POR ISSO, ELE SUBIU NUM BARCO, ONDE SE SENTOU, TODO O POVO ESTANDO NA MARGEM; E LHES DISSE MUITAS COISAS POR PARÁBOLAS, FALANDO-LHES DESTA MANEIRA:
AQUELE QUE SEMEIA, SAIU A SEMEAR; E, ENQUANTO SEMEAVA, UMA PARTE DA SEMENTE CAIU AO LONGO DO CAMINHO, E VINDO OS PÁSSAROS DO CÉU A COMERAM.
OUTRA CAIU NOS LUGARES PEDREGOSOS, ONDE NÃO HAVIA MUITA TERRA; E LOGO NASCEU PORQUE A TERRA ONDE ESTAVA NÃO TINHA PROFUNDIDADE. MAS O SOL TENDO SE ERGUIDO, EM SEGUIDA, A QUEIMOU; E, COMO NÃO TINHA RAÍZES, SECOU.
OUTRA CAIU NOS ESPINHEIROS, E OS ESPINHOS, VINDO A CRESCER, A SUFOCARAM.
OUTRA, ENFIM, CAIU NA BOA TERRA, E DEU FRUTOS, ALGUNS GRÃOS RENDENDO CENTO POR UM, OUTROS SESSENTA E OUTROS TRINTA.
QUE OUÇA AQUELE QUE TEM OUVIDOS PARA OUVIR.
ESCUTAI, POIS, VÓS OUTROS, A PARÁBOLA DO SEMEADOR.
TODO AQUELE QUE ESCUTA A PALAVRA DO REINO E NÃO LHE DÁ ATENÇÃO, O ESPÍRITO MALIGNO VEM E ARREBATA O QUE HAVIA SIDO SEMEADO EM SEU CORAÇÃO; É AQUELE QUE RECEBEU A SEMENTE AO LONGO DO CAMINHO.
AQUELE QUE RECEBEU A SEMENTE NO MEIO DAS PEDRAS É O QUE ESCUTA A PALAVRA, E QUE A RECEBE NA HORA MESMO COM ALEGRIA; MAS ELE NÃO TEM EM SI RAÍZES, E NÃO ESTÁ SENÃO POR UM TEMPO; E QUANDO SOBREVÊM OS OBSTÁCULOS E AS PERSEGUIÇÕES POR CAUSA DA PALAVRA, A TOMA LOGO COMO UM OBJETO DE ESCÂNDALO E DE QUEDA.
AQUELE QUE RECEBE A SEMENTE ENTRE OS ESPINHOS É O QUE OUVE A PALAVRA; MAS, EM SEGUIDA, OS CUIDADOS DESTE SÉCULO E A ILUSÃO DAS RIQUEZAS SUFOCAM EM SI ESSA PALAVRA, E A TORNAM INFRUTÍFERA.

MAS AQUELE QUE RECEBE A SEMENTE NUMA BOA TERRA É AQUELE QUE ESCUTA A PALAVRA, QUE LHE PRESTA ATENÇÃO E QUE DÁ FRUTO, E RENDEM CEM, OU SESSENTA, OU TRINTA POR UM.”

A SABEDORIA DO NAZARENO DEMONSTROU QUE, APENAS UMA QUARTA PARTE DA SEMENTE, GERMINA E PRODUZ FRUTO E, ASSIM SENDO CONTEMPORIZANDO E AO MESMO TEMPO TRADUZINDO AS BELÍSSIMAS PALAVRAS DO MESTRE JESUS, PARA A VIDA MAÇÔNICA, PODE-SE CONCLUIR:

• ATIRAR EM LUGAR FÁCIL, CÔMODO E PRECIPITADAMENTE, OS ENSINAMENTOS MAÇÔNICOS, EQUIVALE SEMEAR AO LONGO DO CAMINHO, ONDE FACILMENTE A SEMENTE É COLHIDA PELOS OPORTUNISTAS. A PALAVRA TORNA-SE VÃ, E NÃO PRODUZ RESULTADO ALGUM.

• ATIRAR OS ENSINAMENTOS MAÇÔNICOS EM LOCAL INAPROPRIADO, POSTO COM RESULTADOS APARENTES, MAS SUPERFICIAIS, EQUIVALE AOS QUE TRAZEM AFOITAMENTE PARA DENTRO DAS LOJAS OS ENTUSIASMADOS E LEVIANOS PROFANOS. APARENTEMENTE INTEGRAM-SE NO IDEAL, MAS NÃO SINTONIZAM ESPIRITUALMENTE; O ENTUSIASMO FENECE SUFOCADO PELAS PAIXÕES E INTERESSES EGOÍSTICOS.

• O SOL QUE É LUZ, NEM SEMPRE DÁ BENEFÍCIOS ATRAVÉS DE SEUS RAIOS; PODE QUEIMAR E PREJUDICAR. MUITOS SE QUEIMAM E JAMAIS RETORNAM ÀS LIDES MAÇÔNICAS. OS TÍMIDOS E DESPREPARADOS, ACEITAM O CONVITE, MAS CEDO, VÊEM SE SUFOCADOS PELOS CIRCUNSTANTES E DESANIMAM, RETIRANDO-SE PORQUE O MEIO AMBIENTE NÃO LHE É PROPÍCIO.

• FINALMENTE, QUANDO A SEMENTE É LANÇADA EM TERRA ADUBADA, ÚMIDA E DADA TODA ASSISTÊNCIA, O APRENDIZ APROVEITA A OPORTUNIDADE E CRESCE, LUTANDO PARA SEGUIR UM CAMINHO VERTICAL, CRIANDO RAÍZES PROFUNDAS PARA QUE OS VENTOS NÃO O PERTURBEM, SUBINDO EM DIREÇÃO À LUZ E AO CALOR.

COM O DEVIDO TEMPO, DENTRO DO PLANO DIVINO, O APRENDIZ, NA QUALIDADE DE COMPANHEIRO, ENCONTRA O CAMINHO DE SEU IDEAL, EM BUSCA DE NOVOS HORIZONTES. PERCORRE DENTRO DA VERTICALIDADE, TAMBÉM PARALELAMENTE, O CAMINHO HORIZONTAL DA FRATERNIDADE, DO BOM EXEMPLO, DA RETIDÃO DE CARÁTER E DO APROVEITAMENTO DOS ENSINAMENTOS QUE RECEBE.


A PALAVRA DE PASSE TEM ESTE SIGNIFICADO: A TRAJETÓRIA ENCETADA PELO APRENDIZ EM BUSCA DO MESTRADO.

 

COLATINA, 11 DE NOVEMBRO DE 2008

 

 

 

RENDRIX BATISTA RODRIGUES

COMPANHEIRO MAÇOM